quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Narrando para novos jogadores


Bem este post falará de uma experiência muito legal que tive a pouco tempo, narrar para um grupo de novos jogadores que tinha um diferencial do meu grupo habitual, a pouca idade e sua total ou parcial falta de conhecimento sobre como se joga RPG.


A experiencia passou-se na casa de meus avós, onde estavam reunidos dois primos meus de idades entre nove e doze anos e um amigo deles, acho que um pouco mais velho com uns treze anos de idade.


Em meio ao tédio que estava sentindo por não estar fazendo bullhufas, tive a brilhante ideia de narrar uma pequena aventura de improviso para meus primos e seu amigo, quando falei que poderiamos jogar, a primeira boa noticia foi que meus primos e seu amigo simplismente adoraram a ideia ficaram cuirosos para saber como é que se jogava este "estranho" jogo, como bom Rpgista expliquei que era uma mistura de faz de conta, video game e contagem de historias eles então adoraram.


Como não estava com nada de RPG improvisei um sistema maluco e começamos a jogar, uma pequena aventura passada numa academia de magia onde eles eram alunos e deveriam descobrir a mando do diretor quem estava roubando os quadros e as carteiras da escola.


Mas o que realmente interessa não foi a historia que nós criamos juntos mas sim a forma como ela foi criada, ela foi feita realmente em conjunto de uma maneira natural e incrivel, pois apesar de não conhecerem o jogo eles simplismente estavam confortaveis e desinibidos.


Meus primos e seu amigo não se conteram em interpretar cenas de batalha fazendo as vozes de seus personagens e onomatopeias também, eles também tomaram a palavra de modo consistente narrando partes da aventura de forma coerente com a historia contada( fiquei realmente impressionado e extremamente surpreso ao ver meu primo menor descrevendo que foi atacado pelo ladrão de quadros que na verdade era um mostro) eles não se preocupavam apenas com poderes, ou com bonificações até porque não sabiam o que isso significava, era a historia que de fato importava e isso era realmente animador e encorajador, impolgante e surpreendente.


Neste ano de grandes fustrações em minhas tentativas de jogar RPG com um grupo novo eu tive a melhor mesa e aventura do ano com garotos que estão saindo da infância agora e isso me ensinou uma lição, quando temos jogadores dispostos a se divertirem e a contarem uma historia não importa o jogo ou o cenário sempre será uma boa aventura, além disso o meus primos derão um banho de interpretação e participação na atmosfera do jogo em muito marmanjo que já jogou c comigo, pois eles simplismente não se envergonharam do que estavam fazendo ou prestaram atenção a coisas bobas ou interessantes que estavam acontecendo parelas ao jogo.


É por causa disso que dedico este post aos meus primos Ayrton, Alysson, e ao amigo dele Johnny, porque eles me deram uma tarde de divertimeto que a muito tempo eu não tinha!