sábado, 21 de julho de 2012

Eu Digo Sim a Baixa Magia e Você?

Olá pessoal! Hoje eu falarei um pouco sobre o a ideia de Baixa Magia e a razão de eu gostar desse tipo de magia. Pois bem, a primeira razão para que eu gostar da magia sendo um pouco mais limitada e difícil é a questão de limites mais coerentes. Em minha humilde opinião, ao tornar a magia mais limitada ela se torna ainda mais especial e mais cheia de sentido, no que toca ao equilíbrio da manipulação das forças místicas e a utilização da força física.
Os magos e outros usuários de magia se tornam mais raros, porém bem mais especiais, ao mesmo tempo que, este elemento que os torna especiais, que é o uso da magia, coloca um limite neles, afinal a magia é algo complexo e de custoso uso e acesso. Em contrapartida, um combatente físico consegue um grande destaque, ao mesmo tempo que, diante de um habilidoso manipulador de magia este mesmo combatente pode se ver em grande apuros. Quero dizer que não se trata de igualdade de valores, apesar disso poder ser parte da coisa, trata-se mais de uma paridade de importância dentro da história e da lógica também, se um guerreiro não pode vencer um exército sozinho, por qual razão um mago deveria conseguir. Não é mais coerente um guerreiro buscar uma aliança? E o mago? Ele pode criar seu exército, não? Ou não foi isso que certo mago branco poderoso fez?
Outro ponto favorável na Baixa Magia é a facilidade que ela traz aos narradores, com ela se evita, ao menos em tese, personagens que usem magia e sejam hiper poderosos, fora isso ainda podemos citar a dificuldade de lidar com certas magias, que óbvio todo mestre cedo ou tarde passa, e cá entre nós, é muito chato ficar dizendo que o teleporte não pegou porque isso ou por causa daquilo ou que você não invocou a tempestade de não sei das contas por causa da barreira mais poderosa que impediu sua conjuração. Com a Baixa Magia isso acaba já que teleporte não existe e invocar tempestades de fogo do céu são um sonho bem distante, para não dizer impossível.
Ainda temos outro ponto a considerar, Baixa Magia permite o destaque dos magos, não pelo seu estrondoso poder arcanos, mas apenas pela sua presença, que causa medo e temor nos inimigos. Ter uma magia sútil é bem interessante e pode ser crucial em um combate onde seu adversário não tem nenhuma magia, novamente lembro-me de um certo mago cinzento em uma certa batalha em um certo abismo.
Para acabar o artigo precisamos falar de umas outras coisas ainda, pois toda rosa tem seus espinhos e essa não é diferente. Em uma campanha de Baixa Magia não dá para visitar um outro plano, ir até o inferno bater na cara de um lorde demoníaco e ainda sair brilhando como o sol de lá. As coisas são mais sóbrias, menos pirotécnicas voltadas ao auxílio mais do que ao ataque, mais pontuais que devastadoras, o que por si só não permite viagens entre dimensões, nem ressurreições ou coisas do tipo, o jogo torna-se mais difícil e menos fantástico em certo sentido, mas em minha humilde opinião não menos divertido.
Por hoje é só, não tenho mais nada sobre o assunto para falar, entretanto eu espero um feedback nos comentários, até os próximos posts.