quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Aliados uma boa Ferramenta para Jogos com um Jogador

Olá pessoal! Hoje vamos falar um pouco de como usar aliados  em nossos jogos, principalmente nos jogos  que tem a presença de um único e ilustre jogador,algo que está acontecendo comigo atualmente em uma pequena aventura que estou narrando para o Leonardo Broilo  que também é colaborador do blog.
Na aventura o personagem tem como objetivo investigar a razão de uma série de desaparecimentos, bem como, o por que do inverno não ter acabado ainda. Pois bem, diante dessa tarefa e com as informações necessárias nas mãos o ilustre mercenário deveria seguir o seu caminho, mas um problema se coloca ai, afinal como um único personagem poderia fazer tudo isso? Ainda mais dentro de um jogo  projetado para ser jogado em grupo?
Havia duas soluções a serem tomadas, uma delas era narrar a aventura como uma aventura solo, equilibrando os adversários ao nível do personagem e assim deixando que ele seguisse sozinho, porém achei que assim as coisas poderiam ser arriscadas demais, afinal o RPG é um jogo e nunca se sabe quando os dados trarão sorte ou azar para o jogador e para o mestre.
Diante disso, preferi a segunda opção, fiz o mercenário líder de um bando de quatro, isso me ajudou a deixar a história mais verossímil e ainda de quebra atenuou o nível dos perigos sem tirar deles a emoção.
Acho que ficou mais verossímil pela razão de que como foi o único herói contratado por um nobre o tal mercenário deveria ao menos receber ajuda do nobre de alguma, uma espécie de reforço bélico, o que garantiria não só que ele fosse cumprir as ordens como garantiria que estas fossem cumpridas com excelência e no menor tempo possível. O que de quebra também "matou" o problema do mercenário contra todos os monstros da aventura, retirando da aventura a ideia do "rambo das masmorras".
Mas, houve então o problema das estatísticas dos aliados do mercenário, não havia mais tempo para pararmos e fazermos suas fichas então decidi que eles teriam metade dos atributos do personagem de  Leonardo Broilo ,bem como metade dos pontos de vida, e infligiriam 1d6 de dano nos seus ataques. Simples, prático e funcional. 
Eles poderiam ser comparados facilmente aos lacaios do d&d 4ed., porém em uma versão adaptada para o jogador o que permite ao seu personagem principal, um pouco mais de segurança, pelo menos durante os primeiros momentos da aventura.
Por fim, os aliados também servirão para a continuidade da aventura, caso o principal personagem vá ao chão durante a aventura. Eles podem servir tanto como mensageiros infelicidade ocorrida ou como bravos heróis que mesmo tento o mais poderoso entre eles mortos resolveram continuar. No final das contas é um grupo fictício que tem como objetivo apenas deixar as coisas mais divertidas.