terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Como Jogar RPG Certo? Conte a História Bem e se Divirta!




Olá senhores e senhoras! Depois de um período de luta e de uma grande vitória; agora sou mestrando, eu estou de volta com o blog. Hoje para começar vou como se dá o jogar RPG inspirado pelo post do Diogo Nogueira lá no Ponto de Experiência (este é o link do blog), pois bem, minha ideia é pensar como se jogar o RPG de maneira correta, mas não da mesma maneira que o Diogo, ou melhor, partindo de um ponto e chegando a mesma conclusão que ele hehehe.
Para mim existe um jeito certo de jogar RPG, este jeito não está escrito em manuais de regras, ou contido em um grupo particular de sistemas; contudo, ele em si mesmo já é uma regra e parte de uma premissa que o próprio Gygax defendia e uma certa vez declarou. Mas antes de chegarmos ao Gygax vamos falar do que se trata essa regra.
A regra que eu falo é simples, mas as vezes pouco entendida por jogadores e mestres, trata-se do ato de contar a história. Essa é a verdadeira regra do RPG, o principal ingrediente, ou o único ingrediente do jogar certo um jogo de RPG. E antes que alguém diga que existe várias formas de contar a uma história, eu digo que estou ciente disso e neste post não falo de moldes, temáticas, estilos de construção de história, falo de algo mais subjetivo, o contentamento, a diversão.
Como o próprio Diogo falou, não importa como você joga o que importa é que se divirta, RPG não tem cara, apenas coração, sua narrativa não é rígida, mas fluída, existe apenas uma grande estrutura que a rege no seu desenvolvimento e cadência, esta é apenas o contentamento e o sentimento de satisfação que todos que fazem parte desse jogo lúdico sentem ao estarem confortáveis com o que estão fazendo.
Jogar RPG certo, em minha humilde opinião, é contar uma história bem, e o que faz com que um história tenha sido bem contada é o nível de diversão que ela causou naqueles que a construíram e contaram, o resto para mim é balela, sistema, regra, cenário pronto e ou caseiro, tudo isso é tempero, não componente principal da grande receita.
Minha declaração parte de uma premissa. É preciso ter uma imaginação fértil desprendida das amarras e do amargor que uma vida cética e descrente carrega, é preciso voltar a ser criança, a ser infantil e sonhar. Como todos sabem, isso independe de um sistema de regras particular, ou de qualquer outra coisa, inclusive isso pode ser feito sem o RPG, mas enfim... este não é o  assunto.
Para acabar, quero só lembrar  a todos uma bela declaração do Gygax que vi em algum lugar a algum tempo, ele falou em outras palavras algo como: " não se precisa de dados, livros ou papel para jogar RPG". Como ficou implícito na frase dele no final das contas só precisamos mesmo é imaginar para jogarmos certo.