sábado, 22 de maio de 2010

A Essência de Um Mago

Os magos é uma das classes mais básicas de um jogo de RPG e também uma das mais complexas de se jogar graças a sua gama de poderes, principais motivos pelos quais muitos iniciantes ou até veteranos a escolhem . Pensando nisso resolvi escrever este post para refletir sobre algumas caracteristicas dos magos que os levam a patamares conceituais e interpretativos superiores a muitos que já encontrei, ou seja, o individuo que apenas lança magia e esconde-se na retaguarda dos "caras musculosos do grupo".
 A primeira delas que me veio a cabeça é a ideia da inteligência.O que de fato representa tal atributo? E o que ele influencia na forma que o mago percebe o mundo do jogo? Estas questões são fundamentais para um bom desenvolvimento do personagem,pois em minha humilde opinião os magos são semelhantes aos intelectuais da academia, em ambos os casos a reflexão e a intelectualidade estão em constante exercicio.
Um mago acima de qualquer outra coisa é um sábio, a noção de mago encontrada por exemplo na biblia é justamente esta, a de homens que dominam um conhecimento complexo e incompreensivel para uma grande camada da população.
Levando esta premissa em consideração acho que antes de ser um usuário de magia, o mago é em essencia  sábio,  quero dizer com isso que tal personagem por natureza deve portar-se como alguém dotado de uma certa reflexidade sobre alguns assuntos que outros não dominam.
Não estou afirmando que um mago sabe de todas as coisas, entretanto aquilo que está sob seu conhecimento é totalmente dominado por ele, magos devem ter incertezas e fraquezas, mas em seus pontos fortes podem e devem exercer uma segurança digna de admiração.
Merlin  e Gandalf são exemplos disso, eles aconselham e tomam decisões seguras nos assuntos que cabem ao seu conhecimento, escondem aquilo que ainda não conhecem de maneira completa e evitam tomar decisões quando estão inseguros para não errarem, apesar disso nada impede que acidentes e erros ocorram.
Os magos compreendem a mágica de forma semelhante ao cientista, ele segue regras, métodos e normas dificeis de serem mudadas, há teorizações, tratados e estudos que devem ser respeitados.
Quando falo tais coisas não me remeto apenas aos magos de academias arcanas, mas também aqueles que aprendem através de mentores ou por pesquisa de livros, papiros e pergaminhos, haverá sempre o elemento de estudo e dedicação neste meio, a magia não será encarada como algo mítico, de certa forma( independente de como ela se origina) ela será um objeto de estudo , algo possivel de modelar e dominar, mesmo que dentro de alguns limites.
A percepção do mago em relação ao mundo deve ser originada destas diretrizes, os mistérios da vida e a beleza das coisas podem ser percebidas de maneira poetica, mas não destituídas de um senso crítico, vejo assim o mago como um pesquisador um individuo que sempre desconfiará do que é dado como verdade.
Talvez seja este carater de desconfiança, o floreio das palavras e a eterna busca do conhecimento que tornem o mago, para aqueles que participam da sua vida, orgulhos e arrogantes, o fato é que em mundos onde a educação e a compreensão  é em sua maioria desenvolvida através dos apelos sensitivos do corpo, pessoas que fogem do empirico de certa maneira são vistas com uma certa desconfiança e estão, até certo ponto, em um nivel superior.
Para finalizar o mago nunca deve se equiparar a outras classes, existirá sempre um requinte e um racionalismo nas deicsões do mago, não são seus impulsos que o levam a tomar decisões, mas a constate reflexões dos benefícos e perdas que permeiam seus caminhos, até o mago mais combativo age estrategicamente, no desespero o mago desempenha um papel semlhante ao que o clérigo e o paladino desempenham com sua fé, ele através da racionalidade e do seu mítico intelectualismo tenta colocar as coisas no lugar.
Outras classes também detem este poder, no entanto de fontes diferentes, um bardo exaltaria a coragem numa canção, um guerreiro através da bravura de sua espada, um bárbaro por sua fúria e um druida pelos aspectos tempestuosos da natureza.
Com isso finalizo minha análise deixando como ultimas palavras a ideia de que antes de lançar magias um mago aprende o valor da racionalidade disso, ele se torna diciplinado e focado para dominar a energia e isto influencia sua visão de como decidir defronte as provações da vida.