segunda-feira, 25 de julho de 2011

Adaptando Conceitos: Armaduras de Ouro para D&D 4ed.


Olá pessoal que aparece por aqui! Hoje vou postar uma pequena adaptação, ou talvez o termo melhor seja uma releitura, das armaduras de ouro dos cavaleiros de ouro do animê Cavaleiros do Zodíaco.
Antes que apareçam comentários falando que eu não adaptei fielmente, ou que a adaptação que fiz não correspondeu expectativas, digo que só foi uma ideia, uma ideia que pode ser desenvolvida por qualquer um da maneira que achar melhor blz?
Mas, a minha iniciativa não tem o intuito de tronar possível jogar com um dos cavaleiros no mundo do D&D, apenas trazer parcialmente a ideia de armaduras de ouro poderosas que são usadas por guerreiros, diante disso vamos a releitura

Armadura de Ouro Estelar
Composta através da junção de fragmentos de estrelas juntamente com o melhor metal encontrado no mundo, esta armadura é capaz de invocar as poderosas forças que regem o universo para proteger o seu usuário.

Nível 25 : +5 625.000 PO                                          Armadura: Cota, Brunea
Nível 30:+ 6 3.125.000 PO                                       Melhoria: CA

Propriedade: Poder( Diário, Radiante) Reação Imediata. O usuário ativa este poder quando atingido pelo ataque do inimigo. O alvo sofre um dano radiante igual a 2d10 +modificador de força.
Nível 30= 3d10 + modificador de força.

Bem, aqui estão as estatísticas do item mágico,mas ao mesmo tempo que eu criava estes dados eu refletia em como colocá-las dentro do universo do jogo, pois bem  duas foram as conclusões que cheguei.
A primeira delas e mais simples é libera-las como itens mágicos normais, ou seja, que apesar de raros podem ser encontrados e vendidos pelos valores que foram descritos.
A segunda, nos leva ao resgate de algumas propriedades do nosso ponto de origem, podemos definir o histórico do item de forma bem semelhante daquele apresentado nos Cavaleiros do Zodíaco, sendo assim a comercialização estaria proibida, não haveria como fabricar novas armaduras e seu número seria limitado, a talvez como no mangá/animê a doze.
No final das contas quem decide isso é somos nós narradores, então fiquem a vontade para usar da maneira que acharem melhor, até porque a razão pela qual este post foi escrito não é uma adaptação fiel ou qualquer coisa do gênero, mas sim demonstrar que tudo que nos cerca pode nos influenciar!

Espero os comentários e as contribuições se por ventura alguém desejar adaptar mais fielmente!