quinta-feira, 28 de julho de 2011

Aprendendo Tática com Vídeo Games

Olá pessoas que leem o blog hoje o assunto é bem interessante, nós falaremos sobre tática e como adquiri-la de uma forma bem dinâmica e funcional e se você como esse mestre que vos fala já teve dificuldade com esta parte do combate leiam com atenção pratiquem as dicas e depois me digam o resultado ok? Vamos lá então?
Há algum tempo atrás montar um combate desafiador, no sentido tático era bem trabalhoso e difícil, e aqui não falo de inimigos super poderosos ou sacos de Pvs, falo exatamente de surpreender os personagens dos jogadores com maquinações originais, ou bem colocadas que me proporcionassem uma boa administração do jogo, sem contudo ter apelar.
Eu queria desgastar os personagens e fazer os jogadores pensarem e não ficarem apenas rolando dados em ataques. Com advento da 4ed. as coisas melhoraram e o elemento tático no combate tomou mais destaque, os livros tendenciaram a destacar e a dar dicas de como implementar este tipo de combate, afinal o sistema pedia isso. Bem, eu aprendi muito com os livros, com dicas lidas na internet e com a vivência durante os jogos.
Entretanto, havia mais uma fonte que a muito tempo eu não explorava, os jogos eletrônicos, isso se deu por que por muito tempo me mantive afastado deles, por inúmeros motivos desde falta de grana para comprar um console, quanto desinteresse mesmo, mas o mundo da voltas e ele girou o que me levou a me reaproximar dos games e me fez perceber que podemos trazer algumas noções para os nossos jogos.
Dessa maneira minha dica é observar como se dão os combates na maioria dos jogos de ação e de RPG, percebendo suas dinâmicas particulares e tentando converte-las para a realidade imaginada dentro da sua mesa de jogo.
Perceba como o jogo lida com o terreno e como ele facilita a vida dos adversários e atrapalha nossas missões, além disso preste bem atenção como é fácil ser flanqueado por inimigos não tão poderosos, que se aproveitam da situação para desferir um grande número de dano.
Aliado aos adversários estão também pequenos enigmas ou armadilhas, que devem ser desvendados ou destravados, também podemos observar como o elemento do tempo é bem usado para causar dramaticidade e  fazer com que a adrenalina suba, diminuindo assim a capacidade de raciocínio frio.
Enfim são situações como essas que podemos trazer, além disso os elementos gráficos podem ser adaptados através de descrições que despertem sensações e façam a imaginação dos jogadores alçar grande voos. Bem estas foram as minhas considerações a ideia no final das contas é trazer um pouco da dinâmica dos games para o RPG de mesa, fazendo com que os jogadores enfrentem desafios interessantes e também diferentes dos habituais.


Até logo senhores e senhoras espero suas colaborações nos comentários.