sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Reequilibrando a Campanha



Hoje eu quero falar um pouco sobre um problema que passei recentemente com meu grupo, nada sério, mas que influenciou minha campanha e quase me colocou em uma enrascada. Trata-se das constantes faltas de dois jogadores, faltas estas que tem motivos bem sérios e plausíveis, mas que trouxeram uma adversidade a estrutura do jogo, já que como eu falei NESTE POST AQUI montei minha campanha pensando em cada histórico dos personagens, envolvendo-os e unido-os.
O problema é que com as faltas as coisas desandaram, pois todos os arcos que viriam pelos ganchos trazidos nos históricos foram frustrados e a campanha simplesmente perdeu um pouco de sentido, para completar um novo personagem entrou na metade da segunda aventura complicando ainda mais as coisas e tornando a campanha um balaio de gatos.
Por sorte, baseei uma parte da história da campanha no histórico desse novo personagem, que não era tão novo já que o jogador tinha feito a ficha, mas não tinha conseguido jogar até então. Diante disso, peguei esse mote e utilizei para repensar toda a campanha até o momento, sem contudo deixar de lado os arcos construídos baseados nos outros personagens, um terceiro caminho foi traçado e um novo arco está sendo construído levando história à caminhos que nem eu mesmo havia imaginado, enfim o equilíbrio se reconstrói no caos turbulento das faltas de jogadores e da entrada de um novo jogador.
Sistematizando o pensamento descobri como essa ordem está se re-estabelecendo e quais foram as ferramentas que usei no momento para segurar a campanha, resolvi então colocar aqui no blog cada uma delas e comentar um pouco. Então vamos a elas:



Ligue o novo personagem a campanha ou a aventura instantaneamente

Foi a primeira coisa que eu fiz, o novo personagem não saltou do nada na aventura, mas fez parte da reviravolta, concedendo a toda a campanha um novo sabor e novos rumos, usei tudo que o jogador tinha feito para seu personagem e amarrei, até finalizando a principal ponta solta, o histórico dele com tudo que já havia ocorrido e com o que estava ocorrendo . O caos das faltas e da entrada de um novo jogador começou a trabalhar para o estabelecimento da nova ordem.

Faça os jogadores indicarem o novo caminho

Dê poder aos jogadores, escute o que eles dizem através dos personagem, faça-os confabular decidir o que vão fazer e os instigue a lembrar das coisas que foram ditas nas sessões passadas, permita que eles escolham um caminho e deem com isso uma nova cara a tudo que está acontecendo. Não crie nada, ao menos nesse primeiro momento, mas administre as consequências das escolhas dos jogadores, pois isso traz um tempo para pensar em como as coisas vão ficar

Conceda um fim aos personagens dos jogadores que faltaram

Esse fim não é a morte, pois os jogadores podem voltar. Mas tenha em mente que algo deve ocorrer no grupo, uma separação ou algo assim, missões paralelas, enfim coisas que justifiquem a ausência dos personagens dos jogadores que faltaram. Contudo, essas coisas devem ser justificadas para o bem da campanha e servir de janelas para a volta dos jogadores e dos seus personagens.


Pois bem, essas foram as três premissas que lembro ter usado para organizar as coisas que ficaram meio confusas, outra dica importante que lembrei e que sempre ajuda é gerenciar a campanha, sempre tenha em mente que as coisas podem mudar e levar seus planos pelo ralo então guarde sempre uma carta na manga para poder fazer da sua improvisação algo muito mais coeso e gracioso para história. Espero os comentário até mais!