Pular para o conteúdo principal

Pensando Além da Ficha um Problema para O Mestre?


Olá leitores do blog Falando de RPG hoje trago um post inspirado em uma situação que ocorreu comigo em minha ultima sessão de D&D, uma situação que me levou a refletir sobre as limitações que um jogo muito denso, cheio de regras, pode ocasionar na dinâmica de uma partida quando os jogadores começam a pensar e ter ideias legais que fogem daquilo que está escrito na ficha.
A primeira coisa que quero dizer aqui é que fugir ou maquinar ideias independente do que estiver anotado em uma ficha é muito bom porque demonstra o quanto o jogador está integrado com o jogo, o quanto ele está realmente pensando como o personagem, ou seja, o quanto ele está sendo criativo, esquecendo um pouco das habilidades e bonificações  para interpretar de "verdade".
Contudo, essa característica, que aqui nessas bandas tende a ser rara, pode levar os narradores à alguns entraves se estes não estiverem dispostos a abandonarem um pouco o raciocínio mecanicista imposto pelo pesado conjuntos de regras que compõe por exemplo o nosso popular D&D, tal pensamento estático, que afeta alguns mestres que moram no mesmo reduto que eu, pode frustrar uma campanha inteira, pois ao não abrir os horizontes o narrador não permite que os jogadores desenvolvam suas ideias e sua criatividade o que consequentemente pode vir a criar uma falta de motivação.
Levando em conta isso, temos um primeiro ponto que deve ficar bem claro tanto para narradores experientes quanto e principalmente para os mais inexperientes, o jogador deve pensar, ele deve ser criativo dentro do jogo, ou seja, não o limite a  testes de pericias insossos na hora de passar por desafios como desarmar uma armadilha, rolar dados não resolve tudo,  deixe-o arquitetar planos inventivos  para sair das situações, mesmo que tais planos fujam das regras um pouco.
Ao pensar além da ficha um jogador pensará  fora da dinâmica usual das regras, mas isso não é pecado ou erro, o livro de regras não é a bíblia então ao se deparar com situações inusitadas dos seus jogadores não os castre dizendo "você não poderá fazer isso porque as regras não cobrem esse tipo de ação", use o bom senso observe seu mundo de campanha e se pergunte seria possível essa ação? Se a resposta for sim ótimo deixe o seu jogador continuar e simplesmente improvise uma regra, adapte ou mude a regra  para que o jogo possa continuar sem grandes inconvenientes, mas lembre-se mantenha a coerência e estabeleça as regras da casa se não o jogo se torna uma metamorfose ambulante.
Outro ponto que deve ser frisado é que assim como um jogador precisa em algumas situações refletir além da ficha o narrador precisa em algumas situações se desprender um pouco dos livros, tudo bem que isso é meio difícil quando ainda estamos inseguros com as regras, no entanto depois de algum tempo que temos o domínio sobre a parte essencial do sistema podemos deixar o livro em segundo plano e resolvermos as coisas de acordo com o nosso bom senso. O que quero dizer é que um mestre não deveria parar a narração de instante em instante para consultar o seu livro de regras, acho que uma boa atitude é anotar as dúvidas e durante a semana, nas horas fora do jogo estudar as regras que lidam com tais situações, durante o jogo a maior arma do mestre é o sua sensibilidade e jogo de cintura para definir que atitude e resolução dos jogadores foge do clima de campanha que este deseja ter.
Enfim, o que este pequeno post propõe é trazer a tona um pouco do tempero old school aos seus jogos atuais, afirmando assim que jogar e narrar RPG de forma mais despretensiosa para com as regras é muito interessante e divertido, pois as vezes um conjunto de regras que tem como intenção ajudar o mestre e os jogadores a abarcarem todas as situações de jogo apenas sufoca e constrange boas ideias, para finalizar pensar além da ficha não é um problema é sim uma solução e uma qualidade que mestres e jogadores deveriam cultivar como seus jardins encantados particulares, afinal feitos criativos são as coisas mais divertidas da fantasia !

Forte abraço e espero  os comentários!!