Pular para o conteúdo principal

Aventuras Investigativas: Clima Diferente na Fantasia Medieval

Olá leitores e leitoras do blog hoje estamos aqui para conversar um pouco sobre um tipo  em particular de aventuras, um tipo que requer dos jogadores uma percepção aguçada e uma boa articulação entre situações, boatos, pistas e depoimentos estou falando de aventuras que lidam com investigação.
Tais aventuras são bem interessantes para serem aplicadas em mesas de RPGs de Fantasia Medieval, pois elas quebram um pouco o clima tradicional e acabam por trazer ao jogo elementos dos chamados romances policiais, algo que acredito trará um fôlego novo as sessões se a ferramenta for bem usada.
Entretanto como devemos inserir estes elementos no jogo? Primeiramente para que se haja uma investigação deve-se haver um mistério, seja este um roubo ou um assassinato, ele deve existir e como tal deve ser algo de grande impacto naquele determinado território mexendo assim como toda a população o que levará ao ponto de partida da aventura e a entrada dos nossos investigadores.
Com isto em mente o próximo passo que deve ser construído é um desenvolvimento dos principais personagens ligados ao mistério, os pdms devem demonstrar em detalhe suas emoções, seus anseios e suas atitudes já que tudo pode servir de prova. O maior de todos os motivos de se ter tal postura é a intenção de enganar e confundir os jogadores, pois a trama deve envolve-los e leva-los a caminhos sinuosos e incertos.
Tocando neste ultimo ponto falado é interessante frisar que em jogos investigativos os dados e os testes são secundários, pois o importante não é encontrar a pista, saber de algo, mas conectar as informações aparentemente sem ligação, neste sentido é juntar as pontas soltas, dessa maneira o desafio não é contra a ficha do personagem, mas sim contra a mente que o concebeu, ou seja, o jogador.
Ao narrar uma aventura que lide com mistérios faça dos detalhes coisas essenciais torne-os pontos chaves para a revelação final e complique a vida dos personagens quando seus jogadores negligenciarem aspectos importantes, mas que eram em seu disfarce bobagens, ensine que as aparências podem enganar e que nem tudo que brilha é ouro.
Em relação as descrições nós narradores devemos ter muito cuidado para não revelarmos coisas demais, entretanto não podemos também negligenciar uma boa descrição e depois cobrar dos jogadores uma postura mais crítica com uma coisa que mal foi descrita, lembre-se narradores são os olhos dos jogadores no universo imaginativo, por isso se algo é importante na história faça com que eles vejam assim sempre tendo o cuidado de não entregar através disso a história e o mistério.
Outro que devemos nos ater, antes da conclusão deste pequeno post, é a ideia do improvável, explore isto, faça com que os jogadores pensem que estão certos que chegaram ao fim e que suas teses em relação ao mistério são corretas, mas no climax da história os sacuda dê uma reviravolta na história e faça com que eles percebam o quanto estavam errados, abrindo assim os seus olhos e os fazendo enfim seguir na direção correta, ao pensar no final do mistério o crie para que o mais improvável de todos os caminhos seja o correto, mas cuidado não resolva o caso pelos seus jogadores deixe com que eles tenham este prazer se não estará tudo arruinado.

Bem por hoje é só espero que gostem e não esqueçam de comentar!!