Pular para o conteúdo principal

Contos de Sexta: O Rei e o Dragão Parte 1


Olá pessoas! Hoje trago mais um conto de sexta, é essa semana eu consegui sim uhu!!! No conto de hoje teremos uma grande batalha, um rei élfico e um terrível dragão,mas vou avisando o conto não está completo, pois a segunda parte eu vou divulgar só na próxima sexta, mesmo assim,  espero que vocês gostem e comentem, afinal o "feedback é sempre importante hehehe.

O Rei e o Dragão

O rei Talion estava preparado, sua fortaleza de pedra estava guarnecida e reforçada, seria uma grande batalha, talvez a maior que as Terras Pálidas testemunhariam; mas com certeza a batalha da vida do grande nobre.
Pois, o rei não enfrentaria um mal comum, mas teria como adversário Alcagalax e sua hoste, que juntamente com o venerável dragão avançava contra o vento. Nem a tempestade de granizos cortantes do eterno inverno das Terras Brancas podiam impedir o voo do terrível ser; pois no seu coração ambicioso havia apenas espaço para o desejo cobiçoso de se apoderar dos tesouros de Talion, do brilho e do valor que a grande fortuna emanava.
Contudo, Talion não desistiria sem luta, protegeria seu ouro e suas jóias, velaria pelo povo que jurou cuidar e proteger; por isso, o rei élfico reuniu suas poderosas tropas, contudo, os guerreiros que formavam essas tropas não foram os únicos a serem chamados, com eles haviam aqueles que um dia lutaram ao seu lado e prometeram lealdade eterna.
Assim, além de Talion e seu exército valoroso, estavam na batalha Lauconor da tribo dos homens navegantes  e sete guerreiros que o seguiam, Fortunir o hospitalário do sul, Adhacast o mágico; e, por fim, Trokim o anão sem lar.
Não demorou para que a batalha começasse de fato, pois Alcagalax o terrível e seus gigantes de gelo logo investiram vorazmente  contra os grandes muros de Talion, aterradora era a presença do dragão, muitos tremeram perante o colossal ser; mas os guerreiros de Talion, e seus aliados do  passado, não abandonaram os seus lugares na batalha.
Os gigantes conjuravam grandes esferas de gelo, fazendo-as voar como pássaros de rapina, horrível era  o efeito e muitos guerreiros perderam sua vida por intermédio da chuva das grandes esferas gélidas; entretanto, tal feito não ficou sem resposta, Adhacast com toda sua erudição arcana criou o fogo, modelou em formato de flechas  e o fez chover por sobre a cabeça de vários dos  gigantes, estes em um lamento definharam;  e como neve em uma manhã de primavera, derreteram aos poucos.
Trokim e tantos outros guerreiros neste momento feriam os calcanhares e pernas das gélidas criaturas; mas, tão forte era o machado do anão que sem demasiado esforço ele fazia seu adversário beijar o chão. Enquanto, isso Fortunir auxiliava no combate e com mãos curativas fechava os ferimentos dos abatidos e revigorava de modo miraculoso o espírito dos que pensavam em desistir.
A luta na fortaleza de Talion por muito continuou;  este com Laucunor e seus companheiros se concentravam no odioso dragão, manipulavam com força e habilidade o grande arpão, contudo eficácia não havia tido a arma contra a grande presteza de Alcagalax.
Contudo, depois do quinto dia de batalha haveria enfim um vencedor. A maioria do povo de  Talion estava fadigado e suas pálpebras apresentavam-se abatidas, demonstrando a fraqueza dos seus membros, nas fileiras inimigas a fúria só aumentava e gigantes esperavam as ordens venenosas do seu dracônico senhor.

Continua...