Pular para o conteúdo principal

Reporte de Campanha: A Torre da Feitiçaria parte 2

Olá pessoal! Hoje estou aqui para relatar a vocês como se deu a segunda sessão e segunda parte da aventura A Torre da Feitiçaria, primeira de muitas da minha mais nova campanha no meu cenário pessoal, o Reino & Ruínas, e que tem como sistema de jogo o Old Dragon. Para quem ainda não leu a primeira parte é só conferir neste link: Reporte de Campanha: Torre da Feitiçaria parte 1.
Nessa sessão tivemos novamente apenas dois jogadores; contudo da sessão anterior apenas um, pois Eduardo, jogador que interpreta Vulkaine, teve alguns imprevistos de trabalho. Apareceram Luandy e André o meu primeiro mestre de D&D. Jogamos por algumas horas, mesmo com as adversidades da minha rouquidão e da forte gripe de André, enfim, foi sacrificado, mas valeu a pena, então sem mais delongas o reporte.

Mais uma foto de Recife


Personagens:

Gimli (Luandy): Um jovem e rabugento anão guerreiro, que abandonou sua terra por vontade própria, depois que o seu mentor, um poderoso general, foi humilhado por um outro general anão que tomou o seu lugar. Desde esse tempo, ele seguiu à procura de situações que mostrasse ao mundo o seu valor.

Vulkaine (Eduardo): Uma maga humana órfã e filha de magos, descendente de uma linhagem  antiga, estudante de magia nas horas vagas; trabalhadora e moradora de uma taverna para sobreviver. Uma jovem franzina, porém inteligente, a espreita da oportunidade de situações que a levem a mais conhecimento dos estudos arcanos e dos mistérios que cercam sua família.


Icarus (André): Guerreiro humano  que por contestar o comportamento homicida do seu rei desertou do exército, tornando-se confrontador das atitudes reais e um grande opositor da monarquia, o que fez com que ele se tornasse um suspeito de traição. Ameaçado de morte, exilou-se e se tornou   um  errante pelos confins da terra.

Proposta da Aventura: A proposta central da aventura era simples, os personagens deveriam ir na torre de um mago chamado Iscar e acabar com ele e com a tribo de Kolbolts aliadas à ele; pois o mago com tal tribo seria o responsável por  uma série de saques e roubos acontecidos  na rota comercial que trespassa o pequeno povoado de Lult. Além disso, os personagens deveriam recuperar uma joia perdida pelo barão Klult, o promotor de tal empreitada.  Mas como haviam fracassado na primeira ida a torre, onde foram derrotados, tornados prisioneiros e quase mortos, algo que só não aconteceu porque fugiram, os personagens agora  deveriam novamente invadir a torre e tentar acabar com o mago,  recuperando por fim  a joia do barão.

Resenha da Aventura: Com a ausência de Eduardo, tive que dar uma improvisada logo no começo da sessão, pois a última sessão havia acabado com o barão Klult prometendo reforços a maga e ao anão; entretanto, o jogador de Vulkaine não estava presente e o jeito foi dizer que a maga ficou pesquisando o misterioso símbolo que ela e o anão encontraram durante a primeira ida a torre.
Sendo assim, Gimli reuniu-se com o barão e recebeu  reforços conforme este havia prometido, dois guerreiros então entraram para o hall dos aventureiros, um pdm soldado do rei e Icarus guerreiro errante que ouviu a mensagem sobre a demanda e resolveu aceitá-la.
Depois de algumas recomendações do barão e a reafirmação da recompensa os dois mercenários e o soldado do rei partiram para a demanda, novamente sendo guiados pelas águas caudalosas do rio serpenteante do complexo de cavernas até a entrada da torre.
Material do jogo
Chegando na entrada da torre, cenário da primeira e dramática batalha da última sessão, os personagens deram de cara com os esqueletos dos Kolbolts que haviam sido mortos. Inesperadamente as caveiras levantaram-se e um combate se iniciou, felizmente para os jogadores, os esqueletos foram facilmente abatidos, por machadas e espadadas; entretanto, Gimli recebeu dano um pouco ferido, nada que se comparasse aos ferimentos da sua primeira visita a torre é claro.
Após acabar com os esqueletos de Kolbots, Gimli, Icarus e o soldado do rei adentraram  a chamada sala das portas, sala esta, que antecedia uma das celas que na última sessão foi prisão para Gimli e Vulkaine. Novamente nesta sala, ossos de Kolbolts se organizaram e um combate se iniciou, Gimli partiu para cima dos Kolbolts com o seu machado, Icarus com sua espada bastarda e o soldado do rei armado com uma besta, neste combate novamente Gimli tem um pouco de azar e é ferido pelos Kolbolts, Icarus, em um ímpeto de heroísmo, tentou arremessar sua espada para livrar o anão, mas sem sucesso acaba apenas jogando-a para longe dele mesmo, enquanto isso o soldado do rei com um golpe de sorte e uma ótima mira derruba com uma seta de besta o crânio de um Kolbolt.
 O combate chega ao seu final com vitória dos aventureiros, mas quando tudo parecia estar bem, um ogro zumbi sai de uma das portas acertando Icarus, com o seu porrete,  o ferindo muito e impedindo-o de pegar sua espada larga, deixando-o apenas com uma espada curta. A luta ainda durou por um tempo, mas com os golpes efetivos de Gimli, os cortes de Icarus e a boa pontaria do soldado do rei o ogro foi levado ao chão e por fim Icarus recuperou a sua espada bastarda que estava jogada no chão.
Luandy e André
 Seguiram então até o final da sala e adentraram a porta, que na ultima visita a torre, Gimli e Vulkaine  hesitaram entrar. Viram-se então em um corredor estreito e sufocante, que descia através de uma escada e posteriormente subia por outra escada. Gimli, Icarus e o soldado do rei desceram, porém a escada parecia não chegar ao fim, os três aventureiros começaram a se sentir mal e resolveram voltar, mas no seu regresso tiveram a mesma sensação, o que os fez perceber que haviam caído em uma armadilha provavelmente mágica. 
Diante de tamanha tensão e sem saber mais o que fazer, Gimli e Icarus começaram a tatear a parede achando uma espécie de saliência que desesperadamente foi apertada por eles. O soldado do rei, Gimli e Icarus então sentirão náuseas e segundos depois estavam na segunda escada, aquela que subia, percebendo o que havia acontecido e se assegurando que poderiam voltar de onde vieram, os personagens subiram a escada em direção ao segundo nível da torre.
No segundo nível da torre, entraram em uma sala com um corredor estreito dotado de pequenas fissuras nas paredes, desconfiados Gimli e Icarus jogaram uma das lanças dos Kolbolts, que haviam trazido, descobrindo que a sala escondia uma armadilha, constituídas de duas  lâminas que saiam da parede. Depois de um tempo de reflexão, Gimli resolve tentar a passagem, mas infelizmente não é tão ágil sendo ferido pelas lâminas. Icarus astuciosamente utiliza de sua espada parando a primeira lâmina e a espada do soldado do rei permitindo a passagem pela segunda lâmina.
Feridos e sem certeza do que encontrariam mais à frente, Icarus, Gimli e o soldado do rei continuaram, seguindo em frente chegaram ao terceiro nível da torre, encontrando uma porta com runas. Icarus então observa por baixo da porta, percebendo pés cadavéricos e ao lado deles uma longa borda de manto ou vestido. Decidido a tentar entrar, o guerreiro errante logo toca na porta, mas com força incrível é jogado para trás, sofrendo lesões graves e ficando muito debilitado.
Diante da dramática situação, os heróis novamente recuam e abandonam a torre, com a esperança que na próxima incursão a maga Vulkaine esteja presente; e que enfim o combate derradeiro contra o mago Iscar aconteça. Assim, eles voltam para o castelo do barão Klult e são recebidos com escárnio pela população, com um amargo gosto na boca, Gimli e Icarus cuidam de suas feridas e se preparam para o futuro, possivelmente o começo do fim.