Pular para o conteúdo principal

A Balada de Alarim

Olá senhoras e senhores hoje trago para vocês um pequeno poema que conta a história de uma das lendas que fazem parte do meu cenário particular, deixo tal poema como uma pequena amostra grátis do que brevemente eu estarei divulgando sobre o cenário espero seus comentários!!



A Balada de Alarim

Em uma noite bela de primavera
Nascia em uma casa simples e singela
Alarim filho de Atariom
Um ferreiro humilde de Aquerom

como o pai o filho se tornou
Forte e ferreiro talentoso
Mas, seu destino era maior
do que a forja e o seu fogo

Pois foi pelo Senhor do Sol eleito
Para seu um divino guerreiro
Aquele que Aquerom Salvaria
Das sombras, do desespero e da ruína.

Por um sonho foi chamado
Para buscar no Norte gelado
Um pouco do poder sagrado
Um majestoso artefato

Grande foi sua missão 
Tamanha foi a sua solidão
Mas, Alarim continuou seus passos
Levando a fé nos caminhos trilhados

Enquanto seguia o herói
Aquerom conhecia seu algoz
Um necromante astuto
Que sem pena queimava tudo

A guerra então nasceu
Mas em seu seio a esperança morreu
Pois guerreiros, clérigos e magos lutaram
Mas, suas forças de nada adiantaram.

Vermelho era de Aquerom o luto
Vitorioso cantava o necromante astuto
Morria aos poucos o reino puro
Diante do terror de um senhor do escuro

Contudo veio do gélido Norte
Um valoroso guerreiro errante
Aquele que mudaria da batalha a sorte
Tornando Aquerom novamente forte

Alarim era seu nome!
Surgiu bravo no horizonte
Com a Lança do Sol
Um grande farol!

Temeu o necromante astuto
Com furor atacou todos e tudo
Mas Alarim trouxe a esperança
E o povo de Aquerom acreditou na vitória

Travada foi a ultima batalha
Mas a luz em Aquerom cintilava
E por Alarim a cabeça do necromante tombou
Afirmando assim que a guerra acabou

seguiu então para o norte Alarim
Não quis nenhum tesouro para sí
Deixou apenas na memória do povo sua vitória.
Uma lenda, uma gloriosa história