Pular para o conteúdo principal

RPG, Magia e Malinowski.

Olá pessoal! As coisas estão bem complicadas para mim, estou com muitas dificuldades para manter uma continuidade aqui no blog, mas estou aqui novamente para conversar com vocês sobre magia, rpg e antropologia, mais especificamente sobre as ideias de um antropólogo o Malinowski.




A magia na antropologia de malinowski

Não irei fazer uma resenha do texto que li do autor, mas vou expor algumas coisas bem interessantes que o Malinowski ressalta em sua teoria. Pois bem, a primeira coisa que tenho a dizer é que para ele a magia  não é exterior, encontrada na atmosfera ou seja lá onde for, ela é contida dentro do feitiço, ou seja, no ato, no gesto, na fórmula e no rito, são através desses elementos que a magia emana e mostra seu poder. Podemos assim dizer que o mago não é um manipulador de energias cósmicas e sobrenaturais, mas é um manipulador de palavras, que expressam magicamente um desejo seja do seu coração, seja do coração de outra pessoa.
Outro ponto que achei bem interessante é a ideia a magia ligada a tradição, toda a magia importante estaria ligada a uma história, uma experiência fundamental; seu uso e só seria eficaz com uma transmissão absolutamente inalterada e imaculada, o estudo e a dedicação são fundamentais para sua manutenção, o que nos leva a encarar o mago como grande sábio.
Um terceiro ponto que acredito ser bastante interessante é a ideia de que  magia é exclusivamente humana na personificação e conteúdo, não derivando-se da natureza, mas manipulando-a e criando aquilo que esta é incapaz de fazer nas palavras do próprio autor:
A força da magia não é, portanto, uma força universal omnipresente, que surge onde quer ou quando solicitada. A magia é o próprio poder específico, um força única na sua espécie, exclusivamente patente no homem, liberta só através da sua arte mágica, brotando com sua voz, veiculada pela criação do rito. (MALINOWSKI,1984, p.79)
 O corpo humano é um receptáculo da magia que obedece a uma série de condições, tabus que guiam e cultivam o mago para sua atividade de conjurador, sendo assim pode-se afirmar que a magia não é manipulada por fora, mas ela é no fim das contas manipulada por dentro, pois está dentro do próprio mago.
Enfim, a magia estaria assim longe do sobrenatural e do natural, ela não é a causa ou o combustível da propriedade de todas as coisas, antes ela é  a concretude energética da vontade e emoção do mago através do feitiço e do tiro. A magia é a manipulação do exterior pela força- trabalhada, estudada e vivida a cada momento pela tradição- do mago.


Aplicando a antropologia no RPG

Bem, eu acredito que as palavras de Malinowski podem trazer novas características para as nossas ambientações e para aqueles que estão construindo um novo RPG. Para mim, todos os pontos expostos "humanizam" a magia, enfatizam de maneira ainda mais poderosa o aspecto de seu estudo e da tradição que a permeia.
Ao definir a magia como algo humano, ou de maneira mais geral como algo cultivado em seres inteligentes, excluímos diversos aspectos mais comuns encontrados na Fantasia Medieval, se por ventura limitarmos a magia aos seres humanos teremos então um grande e inovador plot.
Podemos ainda aproximar magia  e psiquismo fazendo com que ambas se confundam de maneira bem inovadora já que o uso dos gestos, fórmulas e mímicas são importantes.
Para concluir, o que tenho a dizer é que ler percepções e argumentos sobre elementos que permeiam nosso jogo fora dos manuais de RPG ajuda a nossa mente a trabalhar mais criativamente, nos fazendo olhar para novas trilhas de pensamentos. O que Malinowski fala me trouxe boas ideias de como lidar com a magia em meus cenários habituais, o bom é que ele não é o único a fala sobre o assunto o que ajuda ainda mais na discussão, para acabar de verdade deixo o link do texto que li do Malinowski.

Até mais e espero os comentários!