Pular para o conteúdo principal

O Inimigo é o Capital: Quando o poder é o dinheiro

Olá pessoal! Estou um pouco doente, mas eu não resisti e vou postar alguma coisa aqui no blog, pois ele já virou um vício bem agradável hehehe, vou tentar ser rápido para me poupar e não acabar delirando demais, por isso, vamos ao que interessa porque hoje falaremos da raízes de todos os males o dinheiro e de como ele pode ser um grande inimigo.
Mas por qual razão escolhi o dinheiro como tema do post e porque eu chamei ele de inimigo? simples, porque eu pensei em como poderíamos fugir um pouco dos grandes clichês vilanescos da nossa mesa de RPG e trazer como vilão uma coisa mais tangível, ou melhor, trazer um poder que seja mais real para os nossos vilões que fuja assim da manjada magia maligna e poderosa.
O que nos leva a pensar que nem sempre o vilão mais perigoso será o que é mais poderoso, mas este pode ser aquele que tem mais poder aquisitivo, pois através das preciosas moedas de ouro ele pode fazer de toda uma cidade, que deveria ser um refúgio para os personagens dos jogadores, um grande e ardente inferno. 
um vilão poderoso pode escravizar e dominar pelo medo, mas um vilão rico pode cativar e controlar pela cobiça daqueles que estão ao seu lado, o que pode levar até os jogadores um ótimo clima de mistério, desconfiança e espionagem, afinal como confiar no ladino ou no mercenário guerreiro quando o assunto é pesadas moedas de ouro?
Os recursos que o dinheiro pode trazer  para o vilão são quase infinitos, ele pode impedir que os personagens comprem os itens necessários para continuar a viagem, seja comprando tudo antes, seja sendo o dono do comércio da cidade, ele pode contratar terríveis mercenários para ir em busca dos seus inimigos, o dinheiro é para ele uma solução e o dinheiro dele para os jogadores pode ser a perdição.
Óbvio que o uso do dinheiro como instrumento do vilão é limitado, principalmente em cenários de fantasia alta, mas mesmo nesses ele pode ser usado de maneira eficaz em níveis intermediários e baixos, ou até em níveis mais altos com um pouco de jogo de cintura, o princípio sempre será o mesmo, o dinheiro deve ser usado para atrapalhar, limitar e dificultar os passos dos aventureiros, como por exemplo: Os personagens precisam de novas armas ao chegarem na casa das armas, percebem que elas  foram compradas, ou simplesmente que a loja está fechada talvez para sempre.
Enfim, essa foi a ideia que me veio hoje, sei que o post não ficou um dos melhores, por isso, hoje mais do que nos outros dias  espero os comentários de vocês sobre este tema que é tão interessante