Pular para o conteúdo principal

Dungeons and Dragons para o Brasil Morreu?










Olá pessoal! Tudo certinho? Faz um tempo que eu não posto, primeiramente por causa dos meus afazeres acadêmicos, segundo por causa dos meus outros projetos, tanto rpgísticos quanto literários. Porém, hoje eu tenho um assunto que talvez seja um pouco polêmico, mas bem interessante, trata-se do estado do D&D aqui no Brasil.

Como todos sabem, o D&D está na sua quinta edição, que prometeu consertar as coisas e agradar gregos e troianos, uma proposta no mínimo audaciosa. Entretanto, ao que parece a quinta edição do RPG mais famoso do mundo não está mexendo com a cabeça dos jogadores e mestres brasileiros, ao menos, não como se esperaria.
Se nós pararmos e pensarmos como foi a recepção da 3ª edição(na época acompanhei pela revista dragão) veremos que o D&D Next está meio apagado; Se compararmos então com a 4ª edição veremos o choque que está sendo acompanhar esta edição, na época o Falando de RPG estava começando e o que eu mais vi foram blogs com o slongan " D&D 4ed. eu aprovo". Nada de parecido está se vendo com o D&D Next.
Talvez esteja cedo demais para coisas desse tipo, contudo, eu não acho que essa seja a questão, afinal, a política de playtests é carismática e permite uma participação bastante ativa nos materiais que estão sendo criados, o que por sua vez, permitiria ao menos comentários breves sobre o jogo, mesmo que não seja permitido dar muitos detalhes sobre as regras dessa nova edição.
Sinceramente eu não sei a razão dessa pouca visibilidade, porém tenho meus palpites e vou deixá-los aqui registrados. Primeiramente, acredito que muita gente tenha migrado para o Old Dragon, voltado para as edições antigas ou adotado um outro retroclone qualquer, como o Tormenta RPG ou o Pathfider; segundo a própria política da Wizards levou ao afastamento da atualização do jogo, afinal ninguém suporta um troca-troca de edições; terceiro eu coloco a onda de jogas indie e alternativos que o mercado anda recebendo, sendo estes tanto de autoria brazuca quanto estrangeira, tornando-se assim, concorrências e saídas para o D&D e sua instabilidade de edições.
Eu posso estar até errado no que estou falando, mas ninguém pode deixar de admitir que parte de seu prestígio o D&D perdeu. Não sei se isso vai mudar com o seu lançamento ou se vai continuar, pois isso é algo que só o futuro dirá, mas uma coisa é certa, há um longo caminho para ser trilhado; e nesta estrada, passos bem dados deverão ser dados para que o primeiro dos dragões mostre seu antigo poder. Porque para mim por enquanto o D&D pode até não ter morrido, mas virou um morto-vivo e vocês concordam ou não comigo?