Pular para o conteúdo principal

POESIA: A experiência

No post de hoje um pequeno poema que pode vir a se tornar uma aventura brevemente. 




A experiência 

Tocou os seios rígidos, róseos, pontudos,
Lambia os lábios, escorria da boca o suco.
Enfim, olhara, pronta, sua obra prima,
Feita das peças corporais mais lindas.

As nádegas perfeitas e também a vagina,
Redondas, virgens, em suculenta delícia, 
Combinavam com as narinas e cabelos
Bem longos, tão negros, élficos e belos.

Cada peça em perfeita harmonia,
Todas vindas de mulheres atraídas
Para a mesma lúgubre viela, coitadinhas!

Delas, amputou o que bem queria 
E tais partes usou em sua necromancia,
Conferindo, sorria e dizia: 

Está viva!
Viva, querida!
E sejas sempre minha.

Enfim, por hoje é só, até amanhã. 

Por hoje é só, até a próxima  e não esqueça de comentar!

Se você gosto não deixe de comentar.
Nos acompanhe também no Facebook: https://www.facebook.com/FALANDO DE RPG
Nos siga no twitter: @alvaroelisio
Torne-se nosso padrinho: https://www.padrim.com.br/FALANDO DE RPG