terça-feira, 25 de abril de 2017

O RPG como Suporte para Sofrimentos Psíquicos

Olá leitor e leitora! Estou de volta com mais um post e dessa vez o assunto é mais sério, pois gostaria de tratar da relação entre o RPG e os sofrimentos psíquicos. Inclusive, acho válido pensar nisso agora, por dois motivos, um geral e outro específico: (1) porque sofrimentos psíquicos atingem milhões de pessoas, apenas para citar a depressão, a Organização Mundial da Saúde chegou ao número de 322 milhões de pessoas em todo o mundo acometidas com esse sofrimento; (2) porque, muitas vezes, nossa mídia gosta de "sensacionalizar" as coisas e fazer ligação entre cultura nerd e suicídio, como foi feito essa semana quando relacionaram o RPG com o fenômeno Baleia Azul, o que, além de ser absurdo, negligencia a potencialidade que o jogo possui como suporte à terapêutica desses males, algo que tentarei demonstrar. 



1) Mas, porque você usa sofrimento psíquico e não doença mental?
Antes de tudo, talvez, seja melhor eu explicar porque eu penso na depressão e males afins como sofrimento e não doença. Isso é resultado de minha pesquisa na área, como alguns sabem, sou sociólogo e estudo exatamente saúde mental. De maneira bem simples, significa entender que a depressão e outros males mentais não podem ser estritamente entendidos biologicamente, pois apesar de avanços neuropsiquiátricos, afirmam alguns especialistas, não é possível afirmar que mudanças nas estruturas cerebrais ou em processos biológicos são causa e não consequência dos males mentais, em outras palavras, não existe um desajuste orgânico que possa ser apontado como o responsável pela depressão ou ansiedade, por exemplo.  Além disso, não existe sofrimento psíquico em que também não exista forte influência do ambiente, fora que, por mais que os medicamentos sejam eficazes, eles são incapazes de lidar com traumas e angústias que levam a problemas como a depressão, se fazendo necessário que outros tipos de auxílio - auxílios não médicos - entrem em ação, tais como a igreja, a família e a reinserção no mercado de trabalho.

2) Sim, mas o que isso tem haver com RPG? 
O RPG entra exatamente como esse suporte não médico para a resolução ou atenuação do sofrimento mental. Para que o post não fique muito grande, ou muito chato, posso dizer que tudo se concentra na importância do contato social. O contato social é o elemento que viabiliza o acesso ao recursos de apoio e resiliência, o que é fundamental para os sofrimentos psíquicos, pois estes estão ligados características mortificantes socialmente. O RPG pode então ser uma maneira de uma pessoa depressiva vivenciar ludicamente a autovalorização, bem como construir ou fortalecer as amizades, algo que é fundamental em momentos de crise, tais como em casos de depressão onde o desejo de tirar a própria vida é enorme. Enfim, o seu grupo de RPG pode ser muito mais do que parece, ele pode ser uma âncora na construção de uma maior qualidade de vida para aqueles que lidam com este tipo de questão existencial.Esteja esperto e ajude aqueles que passam por esses tipos de problemas, demonstrando que eles não deixaram de ser humanos - e isso é um dos pensamentos mais recorrentes que encontrei nas entrevistas, pois o estigma é algo muito forte - e nem estão sozinhos.

Se você gostou não deixe de comentar.
Nos acompanhe também no Facebook: https://www.facebook.com/FALANDO DE RPG
Nos siga no twitter: @alvaroelisio