Pular para o conteúdo principal

Como transformar o o goblin magricelo em um oponente que se teme?


Quando jogamos o D&D nos primeiros níveis de personagem é comum enfrentarmos goblins,( esta praga medieval se reproduz rápido :D), nos primeiros anos ou meses como jogador um encontro com criaturas como essas podem ser uma experiência muito boa para quem joga, mas depois de um tempo as irritantes criaturas verdes se resumem a pontos de experiência e um saco de pancadas armado com espadas,ou seja, o impacto e a emoção que o encontro poderia causar já não são mais alcançados e pior do que isso este fenômeno não se resume aos irritantes goblins, acontecendo com os grandiosos dragões e outros monstros temíveis e terríveis.

Então o que fazer para que isso não ocorra? A primeira coisa é discutir a relação com seus jogadores e explica-los que eles não podem influenciar a percepção dos seus personagens com suas informações e conhecimentos do jogo,mas se eles vierem com o argumento que seus personagens conhecem tais criaturas de longas datas ? Novamente devemos usar a cabeça e através de simples analogias convence-los que isso não é motivo para não haver surpresa, afinal conhecemos leões, mas se um leão manifestar sinais de raiva para com seu tratador até ele que é acostumado com o trabalho terá medo,mas se os problemas continuarem e parecer não haver mais saída? Existem alguns mestres que conheço que forçariam os personagens a reencontrar o impacto e a emoção de uma forma um tanto que amarga( leia-se apelando contra os jogadores), mas existe um outro modo menos danoso para os jogadores, contudo não menos impactante.

Este método é prático e fácil não trazendo quase nenhum trabalho para o mestre, pois ele liga-se mais a estética dos pdms do que a qualquer outra coisa, afinal porque todo goblin tem que ser igual, uns podem ser mais horriveis do que outros transformando-se em grandes deformidades aos olhos dos jogadores, não é preciso muito para isso é só acrescentar cores diferentes das habituais olhos maiores membros adicionais atrofiados ou coisas do tipo, por si só a estética causa um grande impacto para os jogadores.

Contudo, meus queridos 1d4 leitores as vezes isso não é o bastante e você que inriquecer ainda mais seus monstros, para isso não é necessário apelar com poderes mirabolantes é só usar coisas inusitadas para seus monstros, a primeira talvez seja uma boa dose de esperteza, não interprete os seus monstros como se fossem clones da ultima criatura que seus personagens enfrentaram, todos no mundo possuem motivações e preferencias, se seus mostros atacam bestialmente eles realmente vão parecer sempre os mesmos sacos de Pvs idiotas, mude as táticas surpreenda os jogadores quando estes acharem que sabem tudo sobre um tipo de besta planar do mundo das sombras uivantes, seja a mente por trás do mostro e faça com que ele se torne de fato uma pedra no sapato.

Mas se tudo isso não lhe agradar e você for um mestre de tendência maligna invente poderes para seus monstros tornem os fracos goblins maquinas de matar e ensine aos jogadores que o grupo da semana passada é muito diferente do grupo dessa semana e que os individuos não são clones mas seres com motivações diferentes entre si, uma dica apenas se usar poderes além das mudanças estéticas bom senso e cuidado com as jogadas apelativas afinal grandes poderes trazem grandes responsabilidades.