Pular para o conteúdo principal

O Bruxo em Essência


Poder arcano bruto, energia desconhecida que pode ser dominada e canalizada de acordo com a própria vontade, essa é a magia que que o Bruxo cria, ou melhor,  transmite porque para mim é isso que um conjurador desse tipo é: Um mensageiro de algo que as vezes nem ele mesmo conhece.
Falo isso por causa da forma que tais persongens ganham seus poderes, de como o grande repertório de magias vem de certa forma de um jeito "fácil" e rápido, falo mais precisamente do pacto, um plot dessa classe que pode trazer diversas oportunidades para o enriquecimento da campanha como um todo.
Vejo também esta inusidada forma de ganhar poder como um bom combustivel para conflitos dentro do mundo de jogo e também entre os personagens dos jogadores, afinal, como um bruxo seria tratado por um mago que passou anos estudando? Ou por um clérigo que abomina pactos com entidades desconhecidas e perigosas? Esses são dois exemplos de inumeras situações que se bem pensadas podem ser encontradas.
Agora falando um pouco mais do bruxo, eu vejo os integrantes dessa classe de forma semelhante a um personagem bem famoso da marvel, o qual seria o Motoqueiro Fantasma que ganhou seus poderes infernais por intermédio de um pacto e os usa para combater o mal, mesmo sabendo que fatalmente seu poder é o próprio mal, outro bom exemplo  de personagem seria o Hellboy.
Seguindo essa linha podemos desenvolver um a perspectiva bem interessante para o bruxo, ou seja, ele pode demonstrar-se como um arauto relutante da missão que ele foi incubido de realizar como sua parte no pacto que ele constituiu, quem sabe a grande motivação o bruxo não seja enrolar/vencer a contraparte poderosa que lhe deu o seus poderes? 
Um bruxo pode se comportar como um louco ou também como um persongem reservado e quem sabe até deprimido que vê o seu futuro como algo negro e trágico tornando-se amargo e frio para com amigos e inimigos.
Tal classse em minha humilde opinião é uma das mas trágicas e interessantes de interpretar no D&D, pois eles lidam com poderes muito além de sua consciencia e até em alguns casos de sua força, neste sentido eles tornam-se ótimos martires, anti herois e vilões, principalmente os que são enlouquecidos pelo poder ou os traidores.
Bem senhores essa foi uma analise bem superficial só algumas ideias que surgiram em minha mente espero que tenham gostado, caso apareça mais alguma inspiração escrevo outro post sobre esta classe que tanto chama minha atenção fiquem no aguardo e brevemente voltarei com mais alguma de minhas considerações um abraço !